domingo, 28 de setembro de 2014

Detentos seguem proibidos de sair das celas em Valparaíso


Os detentos da Penitenciária de Valparaíso seguem sem ter banho de sol desde o último dia 9, quando um agente ficou ferido após explosão dentro da unidade prisional. Todos os 1.651 presos que integram os quatro pavilhões estão proibidos pela direção da unidade de deixarem suas celas e receberem os "jumbos" - alimentos e produtos de higiene enviados por familiares - durante um mês, ou seja, até 9 de outubro.

A informação é da Defensoria Pública de Araçatuba, que recentemente pediu a intervenção do juiz corregedor Henrique de Castilho para que a punição coletiva fosse suspensa. O magistrado ainda não se manifestou, apesar de a solicitação ter sido feita há quase duas semanas.

A informação dada pelo cartório da 3ª vara de Execução Criminal de Araçatuba é que o juiz aguarda a manifestação do Estado sobre o assunto para se posicionar. Na época do pedido feito pela Defensoria, Castilho adiantou à reportagem da Folha da Região que não via punição coletiva no caso.

Questionada sobre o assunto na ocasião, a SAP (Secretaria da Administração Penitenciária) limitou-se a informar que a não existia nenhum "problema interno de segurança e disciplina".


fonte: Folha da Região
créditos: Leonardo Moreno

Sindicato pede intervenção na Penitenciária de Valparaíso


O Sifuspesp (Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de São Paulo) pediu a intervenção do Estado nas decisões tomadas pela diretoria da Penitenciária de Valparaíso (município a 45 km de Araçatuba).

Na segunda-feira, a entidade enviou ofício ao secretário da SAP (Secretaria da Administração Penitenciária), Lourival Gomes, e ao corregedor administrativo do Sistema Penitenciário, Wilson Takao Cubo, pedindo "devidas providências acerca da permanência ou modificação dos atos administrativo do atual dietor técnico e sua equipe".

Os questionamentos são referentes a procedimento de revista, manutenção de câmeras e outros dispositivos de segurança, relacionamento com funcionários, centralização de poder, situação de trabalho precária, que envolvem deficiência no fornecimento de alimentos e água, além da falta de uniformes para agentes. O sindicato ainda pede a automação urgente das celas da unidade, conforme anunciado pelo Estado no início do ano.

Com medo de retaliação, funcionários da penitenciária não quiseram comentar as queixas. As informações, no entanto, foram confirmadas pelo coordenador regional do sindicato, Fábio César Ferreira, após ser procurado pela reportagem.


fonte: Folha da Região
créditos: Leonardo Moreno

Após denúncia, polícia encontra droga com visitantes de detentos


Em Junqueirópolis, três mulheres foram presas por tráfico de drogas, na manhã deste sábado (27), enquanto tentavam entrar no presídio do município. Entre elas, uma jovem de 19 anos, outra de 38 anos e uma mulher de 41 anos. Segundo a Polícia Civil, elas levariam cocaína e maconha para detentos na unidade prisional.

Por meio de uma denúncia, os policiais foram até o local e encontraram os entorpecentes escondidos nas partes íntimas das acusadas. Todas foram submetidas a exames.

A jovem de 19 anos estava com 63 gramas de maconha, a mulher de 38 anos escondia 214 gramas também de maconha, e a outra, de 41 anos, transportava 180 gramas de maconha e uma grama de cocaína na genitália.

Após as confirmações, elas foram detidas em flagrante e recolhidas à Cadeia de Dracena, onde serão removidas posteriormente, à Penitenciária Feminina de Tupi Paulista.

As porções das drogas foram apreendidas e as acusadas permanecem à disposição da Justiça.


fonte: G1

sábado, 27 de setembro de 2014

Dupla em moto atira contra carro de agente penitenciário em Avaré



Um agente penitenciário foi vítima de uma tentativa de homicídio desta sexta-feira (26), em Avaré (SP). De acordo com a Polícia Militar, a vítima estava em um carro com a família quando foi abordada por dois homens em uma motocicleta. Os suspeitos atiraram e um dos projéteis feriu levemente a mulher do agente.

Ainda de acordo com a PM, o crime ocorreu no bairro Santa Cruz. Além do agente de 44 anos e da mulher dele, no carro ainda estava a filha do casal. De acordo com o boletim de ocorrência, os atiradores fizeram dois disparos contra o veículo e fugiram.

A mulher atingida de raspão por um dos tiros foi socorrida e levada ao pronto-socorro da cidade. Segundo informações do hospital, ela passou por exames, foi medicada e liberada. A polícia investiga o caso.


fonte: G1

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Decreto altera regras para promoção por antiguidade dos ASPs


DECRETO Nº 60.806,
DE 24 DE SETEMBRO DE 2014
Altera dispositivos do Decreto nº 50.820, de 23
de maio de 2006, que regulamenta a promoção
de que trata a Lei Complementar nº 959, de 13
de setembro de 2004, que dispõe sobre a reestruturação
da carreira de Agente de Segurança
Penitenciária, e dá providências correlatas
GERALDO ALCKMIN, Governador do Estado de São Paulo,
no uso de suas atribuições legais e com fundamento no artigo
8º da Lei Complementar nº 959, de 13 de setembro de 2004,
alterada pelas Leis Complementares nº 1.060, de 23 de setembro
de 2008, e nº 1.246, de 27 de junho de 2014,
Decreta:
Artigo 1º – Os dispositivos adiante relacionados do Decreto
nº 50.820, de 23 de maio de 2006, passam a vigorar com a
seguinte redação:
I – o artigo 4º:
“Artigo 4º - Poderá concorrer à promoção por antiguidade
o Agente de Segurança Penitenciária que, na data de 30 de
junho do ano a que corresponder o concurso, tiver cumprido
o interstício mínimo de 3 (três) anos de efetivo exercício na
respectiva classe.
Parágrafo único - Na apuração do interstício, a contagem
será interrompida, quando o servidor estiver afastado para ter
exercício em cargo ou função de natureza diversa daquela que
exerce, exceto quando:
1. afastado nos termos dos artigos 78, 79 e 80 da Lei nº
10.261, de 28 de outubro de 1968;
2. afastado, sem prejuízo dos vencimentos, para participação
em cursos, congressos ou demais certames afetos à sua área
de atuação, pelo prazo máximo de 90 (noventa) dias;
3. afastado nos termos do § 1º do artigo 125 da Constituição
do Estado;
4. designado para função de direção, chefia ou encarregatura
retribuída mediante "pro labore", a que se refere o artigo
14 da Lei Complementar nº 959, de 13 de setembro de 2004;
5. designado para a função de serviço público retribuído
mediante “pro labore”, nos termos do artigo 28 da Lei nº
10.168, de 10 de julho de 1968, designado como substituto ou
para responder por cargo vago de comando ou nomeado para
cargo em comissão, desde que no âmbito dos Estabelecimentos
Penitenciários da Secretaria da Administração Penitenciária.”;
(NR)
II – o inciso II do artigo 7º:
“II - até 30 (trinta) pontos, para o fator assiduidade, determinado
em função da frequência do servidor, durante os últimos
3 (três) anos, contados até 30 de junho do ano a que corresponder
a promoção por merecimento, na seguinte conformidade:
a) 30 pontos - nenhum afastamento ou falta;
b) 20 pontos - de 1 a 30 afastamentos ou faltas;
c) 10 pontos - de 31 a 60 afastamentos ou faltas;
d) 5 pontos - de 61 a 90 afastamentos ou faltas;
e) 0 pontos - mais que 91 afastamentos ou faltas.”; (NR)
III – o artigo 9º:
“Artigo 9º - Poderá ser beneficiado até 30% (trinta por
cento) do contingente de cada classe, existente na data-base dos
respectivos concursos de promoção.
Parágrafo único - No resultado da aplicação do percentual
de que trata o "caput" deste artigo, será:
1. desprezada a fração, quando a primeira decimal for
menor ou igual a 5 (cinco);
2. efetuada a aproximação para a unidade subsequente,
quando a primeira decimal for maior que 5 (cinco).”. (NR)
Artigo 2º - Este decreto entra em vigor na data de sua publicação,
retroagindo seus efeitos a 1º de maio de 2014, ficando
revogados os incisos II e IV do artigo 1º do Decreto nº 54.505,
de 1º de julho de 2009.
Palácio dos Bandeirantes, 24 de setembro de 2014

GERALDO ALCKMIN
Lourival Gomes
Secretário da Administração Penitenciária
Waldemir Aparício Caputo
Secretário de Gestão Pública
Saulo de Castro Abreu Filho
Secretário-Chefe da Casa Civil
Publicado na Casa Civil, aos 24 de setembro de 2014.

Arbitrariedade, Autoritarismo e Abuso de poder dos diretores geral e de disciplina de Serra Azul contra ASPs femininas




No último dia 11 noticiamos o fato de que três agentes de segurança penitenciária (ASP) femininas, da Penitenciária Compacta II de Serra Azul, registraram boletim de ocorrência na delegacia do município, contra os Diretores Geral e de Disciplina da unidade, por difamação.

As servidoras Cássia Adriana Nogara Ribeiro, Patricia Aparecida Forato dos Santos Sandrus e Juliana Cristina dos Santos estiveram na Sede Regional do Sindasp-SP em Ribeirão Preto, onde receberam orientação jurídica do advogado Paulo Eduardo Matias Braga. A sede é administrada pelo diretor regional, Jose Carlos dos Santos Ernesto, que também esteve presente.
 
De acordo com diretor do Sindasp-SP, após atender as filiadas, o advogado apontou que há indícios de arbitrariedade, autoritarismo e abuso de poder cometidos pelo Diretor Geral, Leandro Pereira, e pelo Diretor de Disciplina Alex Sandro Fogaça, da Penitenciária Compacta II de Serra Azul.
 
O sindicalista disse que o Departamento Jurídico aguarda uma resposta do coordenador das unidades prisionais da região Noroeste, Carlos Alberto Ferreira de Souza, a quem o caso foi apresentado para que sejam tomadas as providências necessárias. O fato também foi levado pelo Sindasp-SP ao secretário de Estado da Administração, Lourival Gomes.
 
O fato abalou psicologicamente as três funcionárias, que necessitaram de ajuda médica. Por não terem mais condições psicológicas de continuarem exercendo suas atividades na unidade, as servidoras foram afastadas pelo médico pelo período de 60 dias.
 
Segundo informações obtidas pelo diretor do Sindasp-SP com outros funcionários da área administrativa da unidade, o Diretor Geral pediu a transferência das três funcionárias para outra unidade prisional. As informações também dão conta de que o Diretor Geral cancelou as férias das servidoras.
 
O diretor do Sindasp-SP relata ainda que conversou com funcionários que foram chamados para prestarem depoimento na sindicância aberta pela diretoria da unidade, e que eles disseram que todas as perguntas feitas foram direcionadas para prejudicar as agentes femininas. Ainda de acordo com o sindicalista, alguns servidores disseram que, no dia do acontecimento do fato (24/8), o chefe de plantão saiu de raio em raio tentando induzir os sentenciados para que fizessem reclamações sobre a demora da entrada de visita. O Sindasp-SP levará também essas ocorrências tanto ao coordenador quanto ao secretário.



fonte: Sindasp 
créditos: Carlos Vítolo - Assessor de Imprensa do Sindasp-SP

AGENTE é agredido no CPP de Rio Preto


Mais um caso de agressão ocorreu contra agente de segurança penitenciária (ASP). Desta vez a violência foi praticada contra o servidor Altair de Souza, no Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de São José do Rio Preto.
 
De acordo com informações de um servidor da unidade, Souza foi agredido a ‘cadeiradas’ durante o retorno de um detento da “saidinha temporária”, no último dia 23. Conforme o servidor da unidade que nos relatou o fato, o detendo sempre apresenta problemas todas as vezes que retorna das “saidinhas”.
 
O servidor teve hematomas pelo corpo e registrou boletim de ocorrência. Na sequência, foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), onde passou pelo exame de corpo de delito.
 
Os servidores do CPP se reuniram e querem que o Grupo de Intervenção Rápida (GIR) realize uma blitz na unidade. “Há um ano que não ocorre blitz no CPP”, disse o servidor.


fonte: Sindasp 
créditos: Carlos Vítolo - Assessor de Imprensa do Sindasp-SP

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Detento mata mulher durante visita íntima no CDP de Ribeirão Preto, SP



Um preso é suspeito de matar a mulher no domingo (21), em Ribeirão Preto (SP), durante visita íntima no Centro de Detenção Provisória (CDP) da cidade. Segundo a Polícia Civil, o pedreiro de 23 anos confessou que estrangulou a jovem de 22 anos após uma discussão e ainda teria tentado suicídio.

O detento chegou a ser encaminhado para uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) e foi liberado em seguida. A Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) informou que apura o caso.

Segundo boletim de ocorrência, o crime teria ocorrido porque o detento desconfiava de traição. Em depoimento à polícia, ele afirmou que a discussão teve início depois que a jovem reclamou que a irmã dela teria pegado comprimidos anticoncepcionais de sua bolsa.

O pedreiro também reclamou da ausência da mulher que, segundo ele, não faria visitas há quatro meses, o que foi negado por agentes penitenciários.

Depois de estrangular a vítima, o detento tomou uma mistura de cocaína com água, para tentar se matar. Outros detentos viram o pedreiro passando mal ao sair da cela e pediram socorro aos agentes penitenciários.

O preso foi encaminhado à enfermaria da unidade prisional, onde recebeu os primeiros-socorros e em seguida para a Central de Flagrantes para prestar depoimento.

A cela onde o crime ocorreu passou perícia e o corpo da mulher foi encaminhado ao Instituto Médico Legal. O pedreiro foi novamente indiciado, por violência doméstica, e retornou ao CDP, depois de passagem pela Unidade de pronto Atendimento (UPA), da Avenida 13 de Maio.

Em nota enviada à imprensa, a Secretaria de Administração Penitenciária confirmou o crime e afirmou que abriu um Procedimento Apuratório Disciplinar e comunicou a Vara de Execuções criminais sobre o ocorrido.

Além disso, a SAP informou que será solicitada a internação do preso em Regime Displinar Diferenciado (RDD).


fonte: G1

Preso mata mulher durante visita no CDP de Ribeirão Preto



Um preso do CDP (Centro de Detenção Provisória) de Ribeirão Preto matou sua mulher estrangulada durante visita na tarde de domingo (21). Policiais informaram que o assassinato aconteceu dentro de sala privada, em visita íntima.

Laísa Amanda Rigueiro e Luis Adalto Moreira, 23, anos, estavam juntos havia oito anos e tiveram duas filhas, de 3 e 5 anos. Laísa havia completado 23 anos há quatro dias.

Na tarde de ontem, familiares dos dois estavam inconformados com o a situação. “Ela era uma menina muito boa. Não sabemos por que ele fez uma coisa dessas”, desabafou um parente de Luis.

O jovem cumpria pena por roubo, de acordo com familiares, há cerca de 11 meses. Policiais informaram também que ele é reincidente.

A reportagem apurou que Luis precisou ser socorrido à UPA (Unidade de Pronto Atendimento), com ferimentos leves. De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura, ele foi medicado e liberado.

Policiais e funcionários do CDP disseram que não poderiam informar os motivos dos ferimentos, mas, no plantão policial, para onde Luis foi levado, a hipótese levantada era de que ele teria tentado suicídio depois de matar a mulher.

Na noite de domingo, o corpo de Laísa ainda estava no IML de Ribeirão Preto (Instituto Médico Legal) para perícia.

O A Cidade buscou mais informações e um posicionamento da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) sobre o caso, mas nenhum assessor de imprensa foi localizado.

No CDP, funcionários informaram que não havia no local diretores ou responsáveis para comentar sobre o crime.

fonte: A Cidade
créditos: Daniela Penha

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

ASP do CDP de Pontal é transferido de turno por se negar a ficar sozinho na cozinha com 30 sentenciados usando facas


O agente de segurança penitenciária (ASP), Eder de Aquino Santana, do CDP de Pontal, procurou o Sindasp-SP para relatar que foi prejudicado pelo Diretor de Centro Segurança e Disciplina (DCSD) da unidade, Mario Possar Junior, ao ser transferido para o turno da noite.   
 
O ASP manteve contato com o Diretor Administrativo da Sede Regional do Sindasp-SP de Ribeirão Preto, José Carlos dos Santos Ernesto, para comunicar que foi transferido forçadamente por não aceitar ficar sozinho com 30 sentenciados que utilizavam facas na cozinha.
 
De acordo com o diretor do Sindasp-SP, o servidor perguntou ao diretor de Disciplina o motivo de o outro funcionário que trabalhava com ele na cozinha ter sido retirado do setor. O diretor de Disciplina alegou que o outro funcionário de apoio da cozinha foi retirado para auxiliar os trabalhos na portaria, e que o servidor ficaria sozinho.
 
Ao receber a informação do diretor de Disciplina, Santana disse novamente que não ficaria sozinho na cozinha com 30 sentenciados utilizando facas. De acordo com Santana, por ter questionado a atitude, foi imediatamente designado para trabalhar na portaria e informado que por esse motivo seria transferido de turno.
 
O diretor do Sindasp-SP relata que o ASP lhe disse que, ao chegar na portaria, lembrou que havia esquecido de preencher o livro ata e que por isso voltou à cozinha para preencher o livro e fazer a passagem de posto. No entanto, foi impedido pelo diretor de Disciplina. “Não quero mais ele aqui. Vou mudar ele de turno. Não deixe ele entrar”, dizia o Disciplina, segundo relatou o ASP ao diretor do Sindasp-SP. Na sequência, o servidor disse que voltou para a portaria e requereu uma saída médica, tendo em vista que começou a passar mal.
 
De acordo com o diretor do Sindasp-SP, o ASP ressaltou que “sua transferência para o turno da noite foi uma forma de vingança do diretor de Disciplina”. O servidor também destacou que a transferência para o turno da noite irá prejudicar o tratamento de saúde de sua esposa, que também é ASP. “A minha esposa está passando por tratamento psicológico. Trabalhamos no mesmo plantão. Ela não pode ficar à noite sozinha. A minha vida não vai ser fácil depois disso”, relatou o servidor.
 
O diretor do Sindasp-SP disse que conversou com o diretor Geral Marcos Massao e também com o Disciplina, para que eles revissem a situação do servidor. O diretor Geral disse que não poderia desautorizar o diretor de Disciplina, mas que iria conversar com ele para ver se ele voltava atrás da decisão tomada. No entanto, o diretor de Disciplina disse que “não voltaria atrás de forma alguma”. Disse ainda que o que foi feito com Santana servirá de exemplo para os outros e que também estava mesmo precisando de mais um funcionário para o turno da noite.
 
O Diretor Administrativo da Sede Regional do Sindasp-SP de Ribeirão Preto disse que, tendo em vista a gravidade dos fatos, o caso será analisado Departamento Jurídico da regional.


fonte:  Sindasp
créditos: Carlos Vítolo - Assessor de Imprensa Sindasp-SP

sábado, 13 de setembro de 2014

Senasp oferece 200 mil vagas em 71 cursos para profissionais




A Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp/MJ) inicia, na próxima sexta-feira (12/9), as inscrições para o 32º ciclo de cursos a distância da Rede EAD-Senasp.

São oferecidas 200 mil vagas em 71 disciplinas para profissionais da Polícia Civil, Polícia Militar, Bombeiro Militar, órgãos de Perícia Criminal, Guarda Municipal, Policia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Sistema Prisional. O prazo para se inscrever vai até 18/9. Clique e confira:



E



As aulas on-line abordam uma série de assuntos inerentes a atividades típicas de segurança pública, com diversos temas interdisciplinares.

Alunos novos podem se inscrever em apenas um curso, enquanto aqueles que já possuem cadastro e não estão bloqueados por evasão podem solicitar a inscrição em até dois cursos. Alunos que tenham evadido no ciclo anterior ou que tenham sido suspensos por não acessarem o ambiente por 30 dias consecutivos não poderão se inscrever neste ciclo, somente no próximo.

O Curso de Condutores de Veículos de Emergência está na ficha de inscrição e aberto a todos os interessados.

A relação das turmas será divulgada entre os dias 2 e 6 de outubro.

Os alunos dos cursos de 40 horas concluem as aulas no dia 11 de novembro. Já os de 60 horas finalizam no dia 18/11.



fonte: justiça.gov


quinta-feira, 11 de setembro de 2014

CDP de Icém - Estão abertas as inscrições para transferências de servidores área meio.

Publicado no D.O. - 11/09/2014


Administração
Penitenciária

GABINETE DO SECRETÁRIO
Resolução SAP 126, de 10-9-2014
Autoriza a abertura de inscrições de servidores
pertencentes às classes de Agente Técnico
de Assistência a Saúde (Assistente Social,
Psicólogo), Oficial Operacional (Motorista) e Oficial
Administrativo, interessados em se transferirem
para o Centro de Detenção Provisória “Marcos
Amilton Raysaro” de Icém, que se subordinará a
Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região
Oeste do Estado
O Secretário da Administração Penitenciária, considerando
a necessidade de constituir o quadro de servidores das novas
unidades prisionais,
RESOLVE:
Artigo 1º - Autorizar a abertura de inscrição de servidores
pertencentes às classes de Agente Técnico de Assistência a
Saúde (Assistente Social, Psicólogo), Oficial Operacional (Motorista)
e Oficial Administrativo, interessados em se transferirem
para o Centro de Detenção Provisória “Marcos Amilton Raysaro”
de Icém, que se subordinará a Coordenadoria de Unidades Prisionais
da Oeste do Estado.
Artigo 2º - Os interessados deverão se dirigir ao Centro/
Núcleo de Pessoal, de sua unidade de classificação e protocolar
requerimento constando a unidade pretendida, data e horário
de entrega.
Artigo 3º - Efetuada a inscrição esta será analisada pelo
Núcleo de Movimentação de Pessoal, que confirmará ou não a
inclusão do servidor na Lista.
Artigo 4º - A partir da confirmação da inscrição, os servidores
serão incluídos na Lista, obedecendo o maior tempo de
serviço com base na data de exercício no cargo/função-atividade
nesta Secretaria.
Parágrafo único: Se necessário, será solicitado ao Núcleo de
Pessoal da unidade de classificação do servidor, certidão com a
contagem de tempo de serviço.
Artigo 5º - Os requerimentos deverão ser encaminhados
ao Núcleo de Movimentação de Pessoal, do Departamento
de Recursos Humanos, SOMENTE POR MEIO DE MALOTE, no
período de inscrição.
Artigo 6º - As transferências serão realizadas considerando
o quadro de pessoal da Unidade Prisional de origem do servidor,
sempre respeitando a conveniência administrativa e em caso de
empate, o critério de desempate será maior idade.
Artigo 7º - Os servidores inscritos na lista, de que trata o
artigo 3º desta resolução que comprovarem residir no Município
de Icém terão prioridade na transferência.
Parágrafo único: Os servidores que comprovarem residir
no mínimo 12 (doze) meses na cidade de Icém, até a data da
publicação desta resolução, deverão apresentar original e cópia
da documentação comprobatória de residência (conta de água,
luz, telefone (fixo) ou contrato de locação registrado em cartório
até a data anterior à publicação desta instrução).
Artigo 8º - O servidor que não mais desejar ser transferido
deverá comunicar a desistência antes da publicação do ato,
mediante requerimento a ser protocolado no Centro/Núcleo de
Pessoal da unidade em que estiver classificado, o qual comunicará
o mais breve possível, o Núcleo de Movimentação de Pessoal,
do Departamento de Recursos Humanos.
Artigo 9º - Definir, com base no § 3º do art 60 da Lei
10.261/68, que o desligamento do funcionário transferido
ocorrerá no 1º dia útil subseqüente a publicação do ato e que,
quando a movimentação ocorrer entre unidades de Municípios
diversos, será concedido um período de trânsito, de até 8 dias, a
contar do desligamento do servidor, para que o mesmo assuma
o exercício na unidade de destino.
Artigo 10º - As inscrições, bem como a entrega dos documentos,
deverão ser efetuadas no período de 11 a 18-09-2014.
Artigo 11 - Esta resolução entra em vigor na data de sua
publicação.

Gate faz vistoria e não encontra mais explosivos na cadeia de Valparaíso



Policiais do Gate, Grupo de Ações Táticas Especiais, entraram na tarde desta quinta-feira (11) no presídio de Valparaíso(SP) para vistoriar o local. Nesta semana, um agente ficou ferido em uma explosão no pátio da unidade. A suspeita é que poderiam existir mais explosivos no local, mas nada foi encontrado pela equipe.

Agentes do Grupo de Intervenção Rápida, da Secretaria de Administração Penitenciária, foram os primeiros a entrar para dar inicio à vistoria. Policiais da Força Tática e bombeiros também foram acionados, mas a operação só começou com a chegada do Gate.

O grupo, que veio de São Paulo, é formado por sete policiais do esquadrão antibombas. O principal objetivo era verificar se existiam mais explosivos dentro da penitenciária. Os policiais chegaram de manhã e ficaram mais de cinco horas fazendo revistas no local.

No fim da tarde desta quinta-feira o Gate terminou a vistoria nas quadras dos quatro pavilhões da penitenciária. Segundo a Polícia Militar, nenhum outro explosivo foi encontrado, apenas porções de drogas escondidas em grades no local e um celular.

Segundo o Sindicato dos Agentes Penitenciários, os detentos seguem trancados nas celas sem banho de sol e a previsão é que nesta sexta-feira (12), o Grupo de Intervenção Rápida volte para fazer uma blitz dentro das celas.

A ação foi solicitada depois que um agente penitenciário ficou gravemente ferido enquanto verificava a denúncia de que havia droga na quadra de esportes do presídio. A explosão ocorreu assim que ele serrou uma das traves do gol. O agente está internado na Santa Casa de Araçatuba (SP) em estado grave.


fonte: G1


Agentes femininas de Serra Azul registram boletim de ocorrência por difamação contra Diretores Geral e de Disciplina


Três agentes de segurança penitenciária (ASP) femininas, da Penitenciária Compacta II de Serra Azul, registraram boletim de ocorrência na Delegacia de Serra Azul, contra os Diretores Geral e de Disciplina da unidade, por difamação, conforme consta o documento.

De acordo com o boletim, a difamação ocorreu em 24/8, durante o exercício das funções das servidoras Cássia Adriana Nogara Ribeiro, Patricia Aparecida Forato dos Santos Sandrus e Juliana Cristina dos Santos.

Elas disseram na data acima os serviços iniciaram como de costume, mas não transcorreram normalmente, tendo em vista que os visitantes queriam explicações sobre o retorno das revistas íntimas. A necessidade das explicações acabou comprometendo o andamento dos trabalhos.

Segundo consta no documento, o Diretor de Disciplina Alex Sandro Fogaça, as levou até a sala do Diretor Geral (que não estava presente), e aos gritos começou a intimidar as servidoras, afirmando que os raios três e quatro estavam reclamando que ainda não havia entrado nenhuma visita.

De acordo com o boletim, as servidoras tentaram explicar ao Diretor de Disciplina o que estava acontecendo, mas o mesmo não deu atenção e continuou gritando e disse que “os raios já estavam balançado, e que se acontecesse alguma coisa com os Agente lá dentro as vítimas seriam responsabilizadas” (sic).

As servidoras disseram que em seguida voltaram para suas funções e após quinze minutos foram chamadas pelo Diretor Geral, Leandro Pereira, e que quando se dirigiam para a sala do mesmo, ele as abordou no meio do caminho e as intimidou aos gritos na frente dos visitantes e funcionários, dizendo que era para as servidoras rezarem para que nada acontecesse, caso contrário seriam responsabilizadas. “Nos sentimos ameaçadas e acreditamos que seríamos agredidas fisicamente”, descreve o boletim registrado pelas vítimas.

No “Comunicado de Eventos” protocolado pelas servidoras na unidade, elas destacam ainda que, após vinte minutos, foram novamente chamadas pelo Diretor Geral da unidade, que estava acompanhado pelo Diretor de Disciplina Alex Sandro Fogaça e pelo Diretor de Plantão Jorge Luís Fernandes Constante. As servidoras afirmam ainda que os diretores mencionados entraram no Box, que deveria ter acesso exclusivo para pessoas do sexo feminino, e mais uma vez, o Diretor Geral as repreendeu aos gritos. 

Confira o trecho narrado no documento abaixo:



De acordo com o documento, após a repreensão, o diretor ordenou que as servidoras saíssem do Box e “autorizou a entrada de aproximadamente 30 visitantes sem a devida revista íntima”, descreve.

Neste mesmo dia, o Diretor Geral não permitiu que houvesse intervalo para a alimentação dos funcionários. 

Confira abaixo:


 

 
Diretor do Sindasp-SP encaminha fatos à coordenadoria e SAP

O Diretor Administrativo da Sede Regional do Sindasp-SP em São José do Rio Preto, Donizete de Paula Rodrigues, foi procurado pelas servidoras e se reuniu com o coordenador das unidades prisionais da região Noroeste, Carlos Alberto Ferreira de Souza, onde apresentou os fatos ocorridos.

De acordo com Rodrigues, o coordenador disse que tomará todas as providências que o caso requer, que irá acompanhar de perto as apurações e o mais breve possível irá encaminhar servidores da coordenadoria para ouvir as partes envolvidas.

Os fatos também foram apresentados ao secretário de Estado da Administração Penitenciária, Lourival Gomes, para que tudo seja devidamente apurado e as medidas cabíveis sejam tomadas contra os diretores da unidade. Cópias do boletim de ocorrência e do comunicado de evento foram encaminhadas ao secretário. A reportagem do Sindasp-SP vai continuar acompanhando o caso.


fonte: Sindasp 
créditos: Carlos Vítolo - Assessor de Imprensa do Sindasp-SP

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Agentes aguardam pelo Gate para vistoriar pátio da cadeia de Valparaíso


O Grupo de Intervenção Rápida formado por agentes penitenciários para atuar em situações de risco informou que só fará a vistoria no pátio do presídio de Valparaíso (SP) com a chegada do Gate, da Polícia Militar, especializado no desarmamento de bombas.

O comando da Polícia Militar não quis informar se virá para Valparaíso e a SAP, Secretaria de Administração Penitenciária, até agora não se manifestou sobre a presença do Gate.

Enquanto o impasse continua, todas as atividades no presídio foram suspensas. A área onde a explosão aconteceu está interditada.


fonte: G1