domingo, 23 de novembro de 2014

AEVP é baleado e morto na zona oeste




Um agente  foi baleado e morto por volta das 5h50 deste sábado (22), na avenida Engenheiro Queiros Teles, no Jardim D'Abril, região do Butantã, zona oeste de São Paulo. Segundo informações da Polícia Militar, a vítima estava em uma motocicleta, quando dois criminosos anunciaram o assalto.

O agente não resistiu aos ferimentos, morrendo no local. O corpo está sendo preservado por uma viatura da 4º Companhia do 16º Batalhão, aguardando perícia. O caso deverá ser encaminhado ao 89º Distrito Policial.


fonte: R7

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

PM de Cerquilho prende suspeito de matar diretor do CDP de Praia Grande



A Polícia Militar de Cerquilho (SP) prendeu na noite desta quarta-feira (19) um suspeito de participar do assassinato do diretor de segurança e disciplina da penitenciária de Praia Grande (SP), Charles Demetre, em agosto deste ano.

Segundo a polícia, Fabiano Felix de Santana, de 30 anos, foi detido durante patrulhamento na Praça Presidente Kenedy. Ele já era procurado por envolvimento no crime.

O suspeito, que é natural de Mongaguá (SP), foi encaminhado para a cadeia de Iperó (SP).

O homem preso em Cerquiho não estava na lista de suspeitos divulgados pela Secretaria de Segurança Pública no dia 28 de outubro.

Fabiano é um dos sete suspeitos do homicídio. Todos os envolvidos estão com a prisão decretada preventivamente, expedida pelo juízo da Comarca do município de Itanhaém (SP), desde setembro.
 
Entenda o caso

O crime aconteceu no dia 21 de agosto. O diretor do CDP foi morto com pelo menos 60 tiros de fuzil quando chegava de carro em casa, em Praia Grande. De acordo com a PM, os criminosos chegaram em um carro e fizeram uma emboscada. O diretor não teve chance de reação e morreu ainda dentro do veículo, atingido por pelo menos 60 tiros de fuzil e arma calibre ponto 40.


fonte: G1

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Presa tenta agredir Agente na Penitenciária Feminina de Ribeirão Preto

Uma detenta mobilizou a segurança da penitenciária feminina de Ribeirão Preto ao tentar agredir uma agente, nesta quarta-feira (19). Foram necessários disparos de bala de borracha por agentes de muralha para conter a presa, segundo informa a nota da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP).

A detenta foi atendida na enfermaria da própria unidade. A nota, contudo, não esclarece sobre possíveis ferimentos causados na presa.

De acordo com a SAP, a detenta passou por um surto. Ela está em tratamento contra a depressão e toma remédios controlados.

Um grupo de intervenção rápida fez uma revista no presídio após o ocorrido. "Trata-se de um fato isolado e já devidamente controlado", diz a nota da SAP.


fonte: Jornal A Cidade 
 

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Cabeleireira é presa com droga em revista íntima no CDP de Piracicaba

Uma cabeleireira de 25 anos foi presa ao tentar entrar com maconha no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Piracicaba (SP), no domingo (16). Segundo a Polícia Civil, para despistar a vistoria, ela escondeu a droga na vagina.

Ao perceber o comportamento da suspeita, que estava nervosa, a agente penitenciária questionou se ela carregava algo ilícito, mas ela negou. Mais tarde, entretanto, acabou confessando que levava maconha escondida na vagina.

Foi apreendida uma porção de maconha que pesava 44,5 gramas e estava envolta em fita adesiva. Segundo a cabeleireira, a droga seria entregue para o companheiro dela, que tinha dívidas na cadeia.

A mulher foi levada ao plantão policial para prestar depoimento, onde ficou detida. A conduta do preso que receberia a droga será investigada.


fonte: G1

sábado, 15 de novembro de 2014

PROCURADOS


Na ordem: Dionatan da Silva, o “Closeup”, Cássio Guedes, o “Tsunami”e Valdir Cavalcante, o "Grilo”.

Denuncie  WebDenúncia

Presos são executados em penitenciária do interior de SP


A Polícia Civil apura a execução de dois detentos da Penitenciária Nestor Canoa (P1), de Mirandópolis (interior de SP). Os corpos de Vanderlei Lima de Oliveira, o Delei, de 47 anos, e de Eduardo Francisco da Silva, o Cowboy, de 27, que cumpriam pena no anexo de semiaberto da P1, foram encontrados do lado de fora do presídio, mas dentro da área externa do complexo.

Segundo a SAP (Secretaria de Administração Penitenciária), os dois foram executados com 13 tiros (Oliveira recebeu seis e Silva, sete) quando trabalhavam na criação de porcos e bovinos. Os agentes que faziam a escolta dos presos encontraram os corpos próximos de uma mata.

Silva cumpria seis anos por receptação e corrupção ativa, enquanto Oliveira estava condenado a 18 anos por estupro, atentado violento ao pudor, assalto e furto. Ambos tinham chegado no início do ano ao anexo.

O delegado Gener Vieira Faria, disse que ainda não descobriram pistas dos autores, mas que não poderia falar sobre o assunto para não atrapalhar as investigações. O delegado disse que pretende ouvir na segunda-feira (17) os agentes que acompanhavam o grupo que trabalhava na área externa do presídio.

A suspeita da polícia é de que os dois detentos tenham sido assassinados por tiros de pistola com silenciador, uma vez que cápsulas de pistola .380 foram encontradas no local. Além do inquérito instaurado na delegacia de Mirandópolis, um procedimento administrativo foi aberto pela Corregedoria da SAP para investigar as mortes.


fonte: R7



Governo paga até R$ 30 mil por informações de autores de mortes de agentes penitenciários


A Secretaria da Segurança Pública (SSP) está oferecendo recompensas de até R$ 30 mil por informações que ajudem na prisão e na identificação dos responsáveis pelas mortes de cinco agentes penitenciários.


 Dionatan da Silva, o “Closeup”, é acusado de matar o diretor do Centro de Segurança e Disciplina de Praia Grande de Praia Grande

Cássio Guedes, o “Tsunami”, é acusado de matar o diretor do Centro de Segurança e Disciplina de Praia Grande de Praia Grande

Valdir Cavalcante, o "Grilo”, foi identificado como responsável pela morte de Agnaldo Cardoso de Oliveira
 

Será pago R$ 10 mil por informações que levem à prisão de três procurados pela morte de dois agentes penitenciários. Os casos são do diretor do Centro de Segurança e Disciplina de Praia Grande, Charles Demitre Teixeira, morto em agosto na Praia Grande, no qual há dois procurados; e do agente de Escolta e Vigilância Penitenciária Agnaldo Cardoso de Oliveira, morto em março em São Vicente.
Além disso, há três recompensas de R$ 30 mil por informações que ajudem a solucionar as mortes de três agentes de Segurança Penitenciária: Agnaldo Barbosa Lima, morto em setembro na capital; Cleoni Geraldo Lima, morto em outubro em Campinas; e Marcos Antônio Azenha, morto em novembro em Taiúva.

As resoluções do secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, com as recompensas foram publicadas no Diário Oficial do Estado de quinta-feira (13).

As denúncias devem ser feitas apenas pelo site do WebDenúncia. O sigilo é absoluto. Pode receber a recompensa o denunciante que encaminhar informações que contribuam de maneira relevante para que a polícia esclareça o crime. Ou seja, quem fornecer dados que resultem na identificação do autor ou na localização e prisão dele.

Foragidos

Dionatan Lucas da Silva, conhecido como “Closeup”, e Cássio Guedes, conhecido como “Tsunami”, são procurados pelo homicídio do diretor do Centro de Segurança e Disciplina de Praia Grande. Os dois têm prisão temporária decretada pela 1ª Vara Criminal de Praia Grande. Charles Demitre Teixeira foi morto a tiros quando chegava em casa no dia 21 de agosto.

Outro foragido é Valdir da Silva Cavalcante, conhecido como “Grilo”, que foi identificado como responsável pela morte de Agnaldo Cardoso de Oliveira. O agente de escolta e vigilância penitenciária morreu no Hospital Municipal de São Vicente, após ter sido atingido por tiros no abdômen e axila na Vila São Jorge.


Esclarecimento de crimes

O Governo também vai recompensar quem ajudar a elucidar crimes cujos autores ainda não foram identificados. Para esses casos, o pagamento será de R$ 30 mil para quem colaborar com o trabalho das polícias paulistas.

Será premiado quem ajudar a chegar ao suspeito de matar o agente de segurança penitenciária Agnaldo Barbosa Lima. Ele foi baleado em 9 de setembro, no Parque Ipê, zona oeste da Capital.
Além disso, também receberá o pagamento quem ajudar a esclarecer o homicídio doloso de Cleoni Geraldo de Lima, baleado na frente de casa no dia 7 de outubro, em Campinas, no interior. A vítima trabalhava como porteiro do Centro de Progressão Penitenciária Professor Ataliba Nogueira.

A última recompensa autorizada pelo secretário da Segurança Pública será para quem auxiliar a polícia na investigação da morte do agente Marcos Antônio Azenha, baleado na porta de sua residência, no dia 1º de novembro, em Taiúva, interior paulista.

Recompensa

O modelo do programa é inédito no país, pois mantém em sigilo a identidade do denunciante durante todo o processo, inclusive no pagamento da recompensa.

As denúncias para o Programa Estadual de Recompensa são feitas no WebDenúncia. O interessado em denunciar precisa apenas fazer o procedimento normal no serviço online e tem assegurado o seu anonimato. Ao final do processo, o denunciante recebe um número de protocolo e uma senha para que ele possa acompanhar anonimamente o uso da sua informação, assim como é feito em todos os casos da ferramenta online.

Nesta seção de acompanhamento, o denunciante será informado se a sua informação foi recompensada e receberá um número de cartão bancário virtual, que permitirá saques da recompensa em qualquer caixa eletrônico do Banco do Brasil, sem a necessidade de que ele se identifique. A quantia poderá ser retirada de uma vez ou aos poucos, assim como é feito com um cartão bancário comum.

A senha é gerada por meio do protocolo, que apenas o denunciante terá acesso, não exigindo um cadastro. O WebDenúncia conta com dupla criptografia de dados, o que impede qualquer pessoa de invadir o sistema. Os recursos para o programa partirão do Fundo de Incentivo à Segurança Pública (Fisp), que é administrado pela Secretaria da Segurança. A verba será liberada ao Fundo quando for necessário efetuar um pagamento.


Como vai funcionar a recompensa

Pode receber a recompensa o denunciante que encaminhar informações que contribuam de maneira relevante para a polícia esclarecer um crime, ou seja, aqueles que informarem dados que resultem na identificação do autor ou na localização e prisão de um procurado pela Justiça.

As informações dadas pelo denunciante são repassadas aos policiais civis e militares que atuam no WebDenúncia – serviço fruto de parceria entre a Secretaria da Segurança Pública (SSP) e o Instituto São Paulo Contra a Violência (ISPCV) -, que encaminham as informações às equipes responsáveis pelas investigações.

A importância de informações para o Programa Estadual de Recompensa é analisada de acordo com cada caso denunciado. A decisão final sobre o pagamento da recompensa fica a cargo do secretário da Segurança Pública



fonte: Assessoria de Imprensa e Comunicação da Secretaria de Segurança Pública

Carta planejando sequestro da família de um Agente de Escolta na íntegra


quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Preso pede em carta sequestro de família de Agente

 
 
Pai e filho foram detidos na manhã desta quinta-feira (13), em Campinas, por suspeita de tráfico de drogas e porte de armas. Na casa de um deles, um auxiliar de engenharia ambiental de 26 anos, a Polícia Militar (PM) achou uma carta escrita de dentro de um presídio, por um integrante de uma facção criminosa, que passava instruções de sequestro de familiares de um agente penitenciário.
 
A carta foi achada dobrada dentro de uma Bíblia que estava sobre um móvel no quarto do rapaz. Além da carta, a polícia apreendeu na casa um pé de maconha e diversos apetrechos usados na mistura de cocaína.
 
A polícia não informou de qual presídio foi enviada a carta para não atrapalhar as investigações. Na carta, havia orientação para apurar a vida diária do agente e sua família. O objetivo do autor, cujo nome não foi revelado, era usar os dados para obrigar o agente a facilitar a fuga de alguns integrantes da facção que estão presos.
 
 
Denúncia
 
A detenção dos suspeitos ocorreu por volta das 7h no Jardim São Bento, região do Campo Grande, após denúncias anônimas que davam conta de que no imóvel havia tráfico. Os policiais foram ao bairro e depararam com um soldador, de 54 anos, em uma moto. Ele foi abordado e levado até sua casa, onde permitiu a entrada dos PMs, que, durante buscas pelo quintal, achou um pé de maconha perto da porta da casa dos fundos.
 
No imóvel mora o auxiliar, filho do soldador e que estava dormindo. Ele alegou que a planta era para consumo e permitiu a entrada dos policiais que revistaram o local e acharam drogas escondidas no forro, pinos vazios, neocaína e outros produtos usados para mistura de cocaína, inclusive um caderno com receita de como fazer a mistura da droga, além de uma garrucha calibre 22.
 
Encomenda
 
"O rapaz faz o tráfico de encomenda. O comprador pede uma determinada quantidade e ele prepara e manda entregar", contou o tenente da PM Paulo Bueno.  Todo o material, inclusive a carta, foi recolhido. Policiais da delegacia de Antissequestro (Deas) foram acionados para ver o material.
 
O soldador ficou preso por embriaguez ao volante e resistência, enquanto o filho por porte de arma, tráfico de drogas e também por sequestro. A Polícia Civil agora vai investigar quem é o autor da carta.


fonte: Correio Popular - Campinas 
créditos: Alenita Ramirez
 
 
 
 

Governo oferece recompensa por informações de assassinos de ASPs





De acordo com publicação do Diário Oficial desta quinta-feira (13), a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo deverá pagar o valor de até R$120 mil como recompensa por informações sobre assassinos de agentes de segurança penitenciária (ASP).

Segundo a publicação, são três recompensas de R$30 mil e três de R$10 mil, por informações de seis casos.  

As denúncias podem ser feitas pelo Disque-Denúncia, por meio do telefone 181.


Entre os casos para recompensa estão os seguintes assassinatos: o ASP Marcos Antonio Azenha, do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Taiúva, que foi assassinado com cerca de 15 tiros em 2/11; o diretor de disciplina do CDP de Praia Grande, Charles Demitre Teixeira, assassinado em frente sua casa, em 21/8/2014, com pelos menos 20 disparos de fuzis de calibre 5,56 milímetros e dez tiros de calibre .40; o ASP Agnaldo Barbosa Lima, do CDP II de Osasco, assassinado em 9/9/2014 quando se dirigia a pé para o trabalho; o ASP Cleoni Geraldo Lima, da Penitenciária de Hortolândia, assassinado a tiros em 7/10/2014, com sete tiros de arma calibre 9 milímetros. Entre outros.

Preso é flagrado com 71 porções de maconha na Penitenciária de Ribeirão

Um detento da Penitenciária de Ribeirão Preto foi flagrado com 71 porções de maconha dentro da cela na noite desta segunda-feira (10).  Segundo registro da Polícia Civil, o suspeito de 25 anos tentou jogar a droga no vaso sanitário, mas alguns papelotes do entorpecente conseguiram ser recuperados e apreendidos. Os agentes também encontraram na cela um caderno com anotações sobre a venda da droga dentro do presídio.

Consta no boletim de ocorrência que o suspeito divide a cela com outros 15 detentos e que a droga foi encontrada no local durante uma vistoria de rotina, no fim da tarde de segunda-feira. O jovem tentou jogar as porções no vaso sanitário, mas foi surpreendido pelos agentes penitenciários. Ele confessou ser o dono da maconha e foi levado à Central de Flagrantes da Polícia Civil, onde prestou depoimento.

Agora, de acordo com a polícia, o rapaz também responderá pelo crime de porte de drogas sem autorização ou em desacordo. Ele foi levado de volta à Penitenciária de Ribeirão, onde já cumpre pena pelo mesmo crime.


fonte: G1

Preso é encontrado morto dentro do CDP de Suzano

Familiares de Fabiano José da Silva, de 18 anos, que foi encontrado morto no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Suzano alegam que o detento sofria de problemas mentais. Segundo eles, o interno não recebia atendimento adequado por conta da doença. A mãe do jovem, Maria José da Silva Campos, disse ainda que o filho vivia no castigo e, por conta disso, ela quase nunca conseguia vê-lo nos dias de visita. "A terceira vez que eu fui ver ele me disseram que ele estava no castigo. Eles alegaram que ele ficava lá porque agredia outros detentos. Meu filho ficou lá por dois meses", disse a mãe.

Na segunda-feira (10), ela recebeu a notícia de que o filho havia sido encontrado morto em uma das celas do CDP de Suzano. O boletim de ocorrência diz que os companheiros de cela pediram ajuda. O detento estaria desacordado e com o pulso fraco. Segundo a família, no atestado de óbito a causa aparece como morte natural. A família questiona.

Segundo a tia do rapaz, Dulcinéia Maria da Silva, ele teria problemas mentais e mesmo assim dividia a cela com outros presos."Ele tomava remédio controlado, durmia na rua... saia correndo com os braços abertos na rua", conta.

De acordo com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Suzano, presos com problemas psiquiátricos devem receber atenção especial. "Seja preso ou seja doente é ser humano. E ser humano precisa ser tratado ou na cadeia ou em um instituto psiquiátrico", disse Laerte Meneses, que é presidente da OAB.

A Secretaria de Administração Penitenciária confirmou que o jovem encontrado morto no CDP apresentava quadro de confusão mental. Ele havia passado por atendimento num hospital e já estava com retorno agendado.


fonte: G1 Mogi das Cruzes e Suzano

Detento passa mal e morre após tentar fugir de presídio em Potim, SP



Um detento da Penitenciária 2 de Potim, no interior de São Paulo, morreu após tentar fugir da unidade na tarde desta segunda-feira (10). Segundo a Polícia Civil, ele foi encontrado em matagal próximo ao presídio pedindo socorro e alegou sofrer uma crise de asma. Outros dois homens também tentaram fugir do local, mas foram recapturados.

De acordo com o boletim de ocorrência, o jovem, de 26 anos, saiu da ala de progressão e foi encontrado caído em um matagal próximo à unidade. Aos agentes penitenciários, ele informou que estava passando mal e que era asmático. Ele foi socorrido a Santa Casa de Aparecida, onde faleceu.

O hospital não informou as causas da morte até às 12h. O Instituto Médico Legal (IML) de Guaratinguetá, para onde o homem deveria ser encaminhado, não confirmou o recebimento do corpo.

Os outros dois detentos que saíram em fuga da penitenciária foram encontrados perto da unidade e encaminhados para a delegacia de Aparecida. Após prestarem depoimento, eles foram reconduzidos para a P2.
 

SAP

A Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) informou, por meio de nota, que o reenducando encontrado no mato foi socorrido e encaminhado para o Pronto Socorro, onde morreu. Em pesquisa ao prontuário médico dele foi constatado que o interno fazia uso contínuo do medicamento Sabultamol Spray, indicado para asma e bronquite.

O boletim de ocorrência foi registrado e, segundo a SAP, a Corregedoria Administrativa do Sistema Penitenciário vai apurar o fato.

A nota destaca ainda que a permanência do preso o regime semiaberto, caso do preso que morreu, se caracteriza muito mais pelo senso de auto-disciplina e auto-responsabilidade, que por mecanismos de contenção contra evasão. Os presos desse regime, além de poderem trabalhar, têm permissão judicial  para usufruírem de cinco saídas temporárias por ano, onde se dirigem para a residência de seus familiares.


 fonte: G1 Vale

Corregedoria investiga denúncia de desvio de verba em presídios do Vale


Uma das unidades sob investigação é o CDP de Taubaté.
Suposta fraude de 'conserto' de carros usaria peças roubadas.


A Corregedoria do Sistema Penitenciário investiga uma denúncia de desvio de verba dos presídios da região, entre os quais o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Taubaté. O dinheiro deveria ter sido usado para compra de peças para carros quebrados, porém as peças utilizadas nos carros eram roubadas.

Os agentes penitenciários denunciaram o suposto esquema feito para enganar o poder público e lucrar com a manutenção dos carros dos presídios. Pelo menos três veículos, que estão encostados no pátio da Corregedoria dos Presídios do Vale, circulavam com peças e motores roubados.

De acordo com os agentes, o esquema agia quando um dos carros apresentava problema e os diretores administrativos das unidades prisionais mandavam os carros para oficinas - que fariam parte do esquema. Os estabelecimentos faziam serviços desnecessários e mais caros, como uma troca de motor, por exemplo. No entanto, o motor usado no 'serviço', em substituição a um que ainda funcionava, era roubado.

Para a unidade, eram apresenados gastos que variavam de R$ 1 mil a R$ 5 mil. Como os carros ganhavam peças roubadas, o dinheiro do 'conserto' era desviado. O esquema era repetido várias vezes com o mesmo carro.

Na investigação, foi encontrado um gol com motor roubado. O veículo é um dos que foi parado no pátio. O que foi gasto com manutenção e peças dele daria para comprar outros dez veículos do mesmo modelo.
 
Golpe

O golpe só foi descoberto recentemente quando carros antigos, com folhas de despesa altíssimas com manutenção, tiveram que ser retirados de circulação. Para isso, foi necessário pedir baixa dos carros no Detran.

Durante a vistoria, antes de envio para o Detran, a direção do presídio detectou que as peças eram roubadas.

A Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) informou que a apuração está em andamento e em nora, informou que o secretário da Administração Penitenciária determinou à corregedoria que as responsabilidades sejam apuradas.

A SAP disse ainda que os funcionários estão sendo ouvidos e, até o momento, nada foi comprovado. Informou ainda que, caso as denúncias sejam verdadeiras, os funcionários vão ser responsabilizados.


fonte: G1 Vale

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Secretaria da Fazenda credencia onze instituições bancárias para concessão de crédito consignado


A Secretaria da Fazenda credenciou onze instituições bancárias para concessão de serviços de amortização de empréstimos financeiros e financiamentos diretamente na folha do pagamento aos servidores do Estado. Conforme despachos publicados nas edições do Diário Oficial do Estado de 28/10, 31/10, 4/11, 6/11 e 8/11 os bancos Alfa, Bradesco, BMG, Bonsucesso, Daycoval, Itaú-Unibanco, Itaú-BMG, Industrial, Intermedium, Panamericano e Santander estão habilitados a oferecer crédito consignado a 1 milhão de funcionários públicos estaduais.
 
A partir do credenciamento, as instituições bancárias podem formalizar convênios com as empresas ou órgãos encarregados do processamento da folha de pagamento para que o serviço seja oferecido. A concessão do crédito consignado aos servidores depende da assinatura desses contratos com a Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo (PRODESP), responsável pela folha de salários dos servidores ativos, com a São Paulo Previdência (SPPREV) que processa os pagamentos dos servidores inativos, e com a Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP), responsável pela folha dos policiais militares.
 
A Secretaria da Fazenda recebeu e analisa documentação, certidões e registros de várias instituições bancárias que solicitaram credenciamento para a concessão de crédito consignado.
 
A possibilidade das instituições bancárias poderem utilizar a folha de pagamentos do Estado para amortizar empréstimos financeiros ou financiamentos realizados pelos servidores públicos foi estabelecida pelo Decreto nº 60.435, de 13 de maio de 2014.  As regras e condições para a inscrição dos bancos como instituição consignatária constam das Resolução SF nº 41, de 13-06-2014 e Resolução SF 69, de 26-09-2014.